#3 Heurísticas de Nielsen: Controle e liberdade do usuário

Os usuários costumam realizar ações por engano. Eles precisam de uma “saída de emergência” claramente marcada para deixar a ação indesejada sem ter que passar por um processo extenso.

👋 Introdução

Já teve medo de clicar em um botão em um determinado aplicativo ou site por medo de não conseguir desfazer a ação que quer fazer? Se isso já passou pela sua cabeça em algum momento, você entende a importância da terceira Heurística de Nielsen, controle e liberdade do usuário.

💬 Conteúdo

Quem nunca arquivou um e-mail sem querer e quis imediatamente desfazer aquela ação? Ou postou um comentário no Facebook por acidente e quis apagar? A terceira Heurística de Nielsen afirma que usuários vão tomar ações acidentais e precisam de uma forma rápida sair daquele estado indesejado sem passar por processos burocráticos ou longos.

Sem muito bla bla bla: tenha um botão de desfazer ou refazer.

Quando não existe uma oportunidade clara de "desfazer" uma ação, usuários tendem a evitar tomar ações com seu sistema com medo de ficarem presos a ele. Um exemplo comum no nosso dia a dia são os botões de navegação de um sistema. Quando você clica em uma página ou seção indesejada, você pode sair dela simplesmente clicando "voltar". Se isso não existisse, você teria que se sentir super confiante de que realmente quer tomar aquela atitude — já que não existe uma saída rápida ou possibilidade de voltar para onde você estava.

Da mesma maneira, processos de compra, formulários e assinaturas devem permitir que os usuários possam, de maneira simples, cancelar a ação que tomaram retornando ao estágio inicial que estavam. Como por exemplo seguir a página da Daredev aqui no Medium! Se você sentir que esse conteúdo não é mais de valor para você, você pode dar um "unfollow" no nosso perfil, sem muitas complicações.

Em dispositivos móveis ou tablets, no qual o miss-click — os cliques acidentais — são mais comuns, é necessário que essas "saída de emergência" estejam disponíveis com mais frequência.

Dar essa liberdade ao usuário encoraja-o a ter mais confiança no sistema, sentir que estão no controle e que não precisam ter medo de clicar em um link, testar um filtro em uma foto ou até mesmo deletar arquivos (em dispositivos que os guardam por até 30 dias) — eles sabem que se por acaso a ação não resultar no que eles querem, podem simplesmente desfazer a ação.

🙃 Conclusão

Seguindo a terceira Heurística de Nielsen, sistemas devem criar mecanismos de desfazer e refazer ações, garantindo que os usuários sintam-se suficientemente confiantes para navegar naquele sistema sem ficar presos em uma ação indesejada. Dessa forma, podem se recuperar de erros acidentais, sem ter que passar por processos longos que os deixaria frustrados.

Designful content for bold UX Designers 💬

Designful content for bold UX Designers 💬