#6 Heurísticas de Nielsen: Reconhecer é melhor que lembrar

Minimize a carga de memória do usuário tornando os elementos, ações e opções visíveis. O usuário não deve ter que se lembrar de informações de uma parte da interface para outra. As informações necessárias para usar o design (por exemplo, rótulos de campo ou itens de menu) devem ser visíveis ou facilmente recuperáveis quando necessário.

👋 Introdução

Humanos têm uma memória curta — pode parecer que não, mas reconhecer algo ou alguma coisa dentro de um contexto é bem mais fácil do que se lembrar. Vamos à um exemplo prático: em que lugar do mundo está Toronto?

Se você hesitou ou precisou de mais de 30 segundos para pensar na resposta, vamos reescrever essa pergunta. Toronto fica no Canadá? A resposta é quase automática — Sim, Toronto fica no Canadá.

💬 Conteúdo

Ao perguntar em que lugar do mundo Toronto está, o usuário precisa utilizar a memória para tentar se lembrar qual a resposta correta para essa informação — e se há muito tempo você não tem contato com essa resposta, lembrar vai ficando cada vez mais difícil. Se ao invés disso, criamos contexto para os usuários, e damos pistas da resposta — como em Toronto fica no Canadá?, há um processo de associação direta.

Essas pistas mandam ativam no cérebro sinais relacionados ao que há guardado em nossa memória. Ou seja, quanto mais pistas, mais fácil fica de lembrar alguma coisa! A maior diferença entre o reconhecimento e a lembrança, é o número de pistas que são oferecidas ao usuário.

Seleções são um perfeito exemplo de reconhecimento: o sistema exibe uma lista de opções e, dentre elas, você escolhe aquela que deseja. O reconhecimento também é utilizado no preenchimento de cadastros — ao começar a preencher o seu nome em um formulário, por exemplo, se o label indicando o que é aquele campo some, o sistema se apoia na capacidade de memória do usuário. Se o usuário for interrompido no meio do processo, ele pode esquecer o que estava preenchendo e ter que apagar tudo para começar a preencher de novo.

O modelo no qual o usuário consegue — além de identificar o nome do campo — ler uma mensagem personalizada sugerindo a melhor maneira de preencher aquele campo é uma excelente ideia. Principalmente se um dos requisitos do campo for seguir um formato especial, como o de telefones.

🙃 Conclusão

Interfaces que promovem o reconhecimento dão mais informações para o usuário lembrar o que quer ou precisa fazer. Assim, minimizamos a carga de memória do usuário tornando os elementos, ações e opções visíveis.

Designful content for bold UX Designers 💬

Designful content for bold UX Designers 💬